Sobre Pausas e Doenças


Inesperadamente, enquanto pressiono os botes do teclado e formo estas frases canhestras, o dia brilha azul pelo outro lado da janela

Distante, vejo o mar tranquilo e sua beirada vazia, solitária.

O silencio, outrora abafado pelos inúmeros carros comprometidos com seu ir e vir, me abraça sem nenhum dó.

A sensação de que a cidade parou, segurando o ar dentro de seus pulmões, é enorme e, tampouco, errada.

Começo este post quase como se eu estivesse escrevendo um diário sobre o isolamento, depois de uma implacável noite de insônia.

De forma alguma foi a primeira noite em claro e, desconfio com demasiada certeza, nem será a última deste período.

Parece que o silêncio da madrugada ajuda a reavivar no nosso cérebro nossas preocupações mais mesquinhas e isso nos rouba o sono e os sonhos.

Os sonhos roubados não apenas de nossa fase mais onírica, mas também os sonhos concretos, moldados a partir do nosso esforço e dedicação.

Devido a surpreendente pandemia de Coronavírus (COVID-19) a vida ficou mais difícil para nós, que produzimos todo o conteúdo do Eu Faço, Você Lê.

Outros trabalhos, que nos concedia os recursos financeiros necessários para continuar, desapareceram, nos deixando diante de um cenário muito incerto.

Também, nos causou muitos transtornos pessoais, dificultou muito a nossa comunicação e paralisou muito da nossa produção.

Entrar em quarentena quebrou nosso ritmo de produção, uma vez que anulou nossos encontros presenciais tornando todas as discussões e esforços minuciosos muito mais morosos e cansativos.

Ambos vivemos em cidades distintas e o trabalho a distancia nem sempre funciona, seja por problemas técnicos ou dificuldade de sintonia.

Por fim, a pandemia quebrou nosso processo de vendas, tornando inviável continuar publicando e distribuindo os livros impressos, feito por venda direta ao leitor, nosso principal produto.

Infelizmente, nossos livros digitais não são muito populares, para dizer o mínimo.

Assim, como algum leitor atento já deve ter percebido, Ainda não tivemos o segundo volume de Star Justice e nem o teremos num futuro próximo. 

Os planos já anunciados sobre a versão impressa da primeira temporada de Robotizando também estão suspensos, bem como nosso livro de contos.

Em agosto deste ano, o Eu Faço, Você Lê completa 5 anos de existência e, dói muito perceber que não será possível comemorar essa marca que tanto sofremos para alcançar.

Depois de 2 anos seguidos, com nosso trabalho avançando pouco a pouco, não seremos capazes de publicar um novo livro.

As estações estão mudando, as chuvas estão chegando e nos lembram que não estamos paralisados durante a quarentena, mas partidos.

O tempo passa cruelmente e só nos resta torcer pelo surgimento de uma vida melhor, construída durante e depois desse período turbulento.

Nós dois vamos mantemos o distanciamento social custoso, pensando no outro, com carinho.

É como encostar a cabeça no ombro do amigo esperando um grande abraço em retorno.

Por enquanto, o Eu Faço, Você Lê continuará sem novas publicações, muito embora vamos tentar produzir devagarzinho em nossa clausura.

Esperamos o que o segundo semestre nos trará de oportunidades.

 

Thomaz e Vanessa.


0 comentários:

Postar um comentário